Grito de Alerta

Assim é D mais

               A Série D do Campeonato Brasileiro poderá ser paralisada antes mesmo de começar, devido à decisão do Tribunal de Justiça do Amazonas desta terça-feira, que retirou o Nacional-AM da competição, para dar lugar ao Fast Ulbra-AM.
          A decisão foi dada pelo juiz João Marcelo Nogueira Moysés, atendendo à solicitação do torcedor Marcos Túlio Cavalcante Costa, do Fast Ulbra, que alegou que, pelas regras da competição, o Nacional não estaria raqueado para participar. Ao contrário do Fast, de acordo com os mais bem posicionados do Campeonato Amazonense.
        O imbróglio teve início quando a Federação Amazonense de Futebol (FAF) resolveu indicar o Nacional para uma vaga que caberia ao Estado de Roraima, que desistiu da disputa. Acontece que, a vaga seria dada ao Fast Ulbra, isso porque no Estadual de 2010, o Fast terminou na segunda colocação, atrás do campeão Penarol, ao passo que o Nacional foi o quarto colocado.

As regras da CBF dizem o seguinte:


"A substituição de clubes, na hipótese de desistência de participação, dar-se-á, segundo os seguintes critérios: A) a vaga pertencerá ao clube classificado a seguir em relação à posição do clube desistente, na tabela de classificação da competição que originou a vaga; B) não havendo clube interessado no âmbito da federação originalmente detentora da vaga, observada a condição estabelecida no item (a), anterior, a vaga deverá ser preenchida pela federação que estiver melhor posicionada no RNF – Ranking Nacional das Federações, aplicando restritamente aos estados que compõem o grupo de clubes ao qual pertencem o clube desistente".

                A CBF e a FAF terão 15 dias para recorrerem, que não é um tempo hábil para as federações e demais clubes, já que a Série D começará no próximo sábado. Caso as federações descumpram a decisão da justiça, serão passíveis de multa que poderão chegar até R$ 100 mil.

No lugar do Nacional, o Fast estrará no Grupo A1, e jogará com o Vila Aurora-MT.

                       "O pensamento agora é de preparação para o nosso jogo de domingo. Provavelmente o Nacional entrará com um recurso, e cabeça de juiz ninguém sabe o que tem. Mas garanto que qualquer pessoa que julgue o caso com seriedade e sem ser contaminado por forças ocultas, decidirá a favor do Fast. Se fosse em Brasília ou qualquer outro lugar distante dessas forças, o Fast teria a vaga", disse Cláudio Nobre, vice-presidente do Fast ao site Futebol do Interior.

Com informações dos sites Futebol do Interior e Diário do Amazonas.